quarta-feira, 25 de novembro de 2015

INSTITUTO TERRA


ÚLTIMOS REFÚGIOS


MAR DE LAMA


ACONTECEU



ÚLTIMOS REFÚGIOS


INICIATIVA EMPRESARIAL EM CLIMA


SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS


PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE


RIO DOCE


CONCURSO ECO FALANTE


SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS


COMUNICADO SOBRE O RIO DOCE

 
 
MEIO AMBIENTE
COMUNICADO SOBRE O RIO DOCE
Autor: Comunicação - 13/11/2015

 

Solidário a todos os atingidos pelo rompimento das barragens de rejeitos no município de Mariana, em Minas Gerais, em especial aos familiares das vítimas, o Instituto Terra entende que o momento exige ações urgentes dos poderes constituídos, no sentido de minimizar o sofrimento da população envolvida e dos impactos causados ao meio ambiente, ao mesmo tempo em que deve atuar na responsabilização das empresas envolvidas, de acordo com a legislação brasileira, no sentido de efetivar a integral compensação pelos danos causados.
Durante toda a sua existência, o Instituto Terra pautou-se pelo verdadeiro sentido da palavra sustentabilidade, buscando ser interlocutor, mediador dos conflitos locais, mas também apresentando soluções técnicas efetivas para promover o equilíbrio entre desenvolvimento e meio ambiente.
Diante do acontecido, o Instituto Terra imediatamente mobilizou todo o seu corpo técnico na elaboração de um projeto para recuperação do Rio Doce. A proposta prevê a criação de um Fundo com recursos financeiros subsidiados pelas empresas responsáveis pelo desastre, que possibilite, além da recuperação de nascentes, absorver todos os investimentos e ações destinados à reconstrução das condições ecológicas, bem como gerar recursos contínuos para projetos sociais, econômicos e de geração de emprego e renda em toda a região que constitui essa bacia hidrográfica.
O fundo deve permitir a criação de um patrimônio perpétuo para promover uma grande transformação no Vale do Rio Doce, saindo de um quadro de intensa devastação para um ambiente equilibrado, desenvolvido e produtivo.
O projeto já foi discutido com os Governadores de Minas Gerais e do Espírito Santo, bem como com o Governo federal. Cofundador e Vice-Presidente do Instituto Terra, Sebastião Salgado tratou do tema diretamente com a presidente Dilma Rousseff, na manhã desta sexta-feira (13 de novembro), em Brasília, que se mostrou empenhada e favorável à iniciativa, e assumiu o compromisso de criar um comitê para negociar com as empresas responsáveis pelas barragens de Mariana.
Além do Governo federal e dos Governos Estaduais, o plano para recuperação do Rio Doce deve envolver os governos municipais, a iniciativa privada e a sociedade civil organizada, para pleno direcionamento dos recursos e tecnologias a serem empregados na região.
Já sabíamos que restabelecer a vida do Rio Doce seria um processo difícil e de longo prazo. Agora, exigirá mais empenho e urgência nas ações, bem como uma aprendizagem ambiental compartilhada com a sociedade.
Mais do que nunca, o resgate do Rio Doce, destruído ecologicamente pelo desastre, passará por medidas de recuperação de todas as nascentes da bacia, para garantir uma maior produção de água, bem como a reconstituição das matas ciliares e das reservas legais, para evitar a sobreposição e acúmulo de mais resíduos, assim como o fortalecimento de um modelo agroecológico de produção rural. Somadas a outras ações socioambientais e de monitoramento, de toda a cadeia produtiva, em especial a industrial, acreditamos que será possível alcançar o pleno restabelecimento da região.
O Instituto Terra reafirma seu compromisso com a missão de replantar a Mata Atlântica e trazer de volta a vida, a água, ao Vale do Rio Doce, com projetos conectados e voltados diretamente para a promoção do desenvolvimento pleno de um Vale que há anos sofre com os efeitos da degradação ambiental.










 

sábado, 21 de novembro de 2015

EDUCAÇÃO AMBIENTAL


GESTÃO AMBIENTAL


ÉTICA


PRODUÇÃO DE PAPEL


AMBIENTAL


GREENPEACE


DEFESA CIVIL


PLANTAS NÃO FUMAM ...


PLANTE UMA ÁRVORE EM 2015


PLANTE UMA ÁRVORE EM 2015


ÁGUA QUE VOCÊ NÃO VÊ


NÃO RECICLÁVEL - SEMASA


REVISTA GERAÇÃO SUSTENTÁVEL


REVISTA GERAÇÃO SUSTENTÁVEL


REVISTA GERAÇÃO SUSTENTÁVEL


AMBIENTAL


AMBIENTAL


AMBIENTAL


AMBIENTAL