domingo, 31 de janeiro de 2016

Megatendências para a construção sustentável

7 megatendências para construção sustentável

Top
A sustentabilidade na construção civil está cada vez mais em evidência, trazendo novas oportunidades de negócios e nichos de mercado muito rentáveis para toda a cadeia produtiva. De olho no futuro do planeta e dos negócios, um dos maiores especialistas em edifícios verdes, Jerry Yudelson, listou as 7 maiores tendências para esse cenário em 2014.
Confira abaixo as principais oportunidades para esse ano:
1-      Mercado em alta:
Principal aspecto da lista é o contínuo crescimento do mercado de construção sustentável. Segundo ele “edifício verde é o tsunami do futuro que irá inundar todo o setor imobiliário”.
De acordo com estudo da consultoria EY (antiga Ernst & Young), em 2012, os prédios com certificação verde movimentaram R$ 13,6 bilhões no país, valor correspondente a 8,3% do total do PIB de edificações naquele ano.



2-      Eficiência energética:
O foco em eficiência energética vem crescendo consideravelmente nos últimos anos, incluindo a automação predial utilizando sistemas baseados em nuvem.
Além disso, tamanho das janelas, tipo de vidro escolhido, iluminação e desligamento automático do sistema são soluções que ajudam a evitar o desperdício de energia.



3-      Prédios de energia zero:
Edifícios que produzem mais energia do que consomem ao longo do ano já são realidade em países como Alemanha, Noruega e Estados Unidos e deverão vir com mais força para o Brasil a partir de 2014. O método de produção mais comum é através da captação de energia solar para ser utilizada no próprio edifício.



4-      Retrofit ecológico em prédios antigos:
As mudanças não se limitam apenas aos prédios novos. Desde 2010 essa tendência vem se tornando o caminho mais rápido para adaptação de prédios antigos e clássicos ao novo padrão sustentável encontrado em edificações mais novas.
Nos Estados Unidos o mercado de construção sustentável saltou de U$ 10 bilhões em 2005 para U$ 236 bilhões atualmente. Até o Empire State Building passou por uma mudança grande em sua matriz energética.



5-      Novas certificações:
Hoje a principal certificação de construção sustentável é o LEED (em inglês “Leadership in Energy and Environmental Design”) mas novos selos vem surgindo abrindo novas possibilidades para quem tem interesse em ingressar nesse mercado. No Brasil, um dos selos mais procurados, além do LEED, é o selo Aqua.



6-      Energia solar:
O uso de energia solar vai continuar a crescer e as oportunidades de financiamento para esses projetos irão ajudar a fornecer recursos para instalação desses equipamentos em edifícios comerciais, estacionamentos, armazéns e lojas de varejo, além de residências.
Hoje em dia no Brasil, gerar energia solar em casa, já permite que não se tenha que pagar conta de luz no fim do mês e até ficar com crédito na distribuidora de energia.



7-      Sem desperdício de água:
Segundo Yudelson, os edifícios verdes podem ajudar no combate ao desperdício de água, através de sistemas que otimizam o uso do recurso. Ações como descargas que usam menos água nos banheiros e incorporação de telhados verdes, que coletam precipitação da chuva para reutilização no prédios são exemplos de como aproveitar melhor esse valioso recurso natural.



FONTE:http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/7-megatendencias-em-construcao-sustentavel-para-2014?page=1


sábado, 23 de janeiro de 2016

INSTITUTO SOS PANTANAL


INSTITUTO SOS PANTANAL


INSTITUTO SOS PANTANAL


INSTITUTO SOS PANTANAL


INSTITUTO SOS PANTANAL


INSTITUTO SOS PANTANAL


EVENTOS CLIMATICOS EXTREMOS - GLOBAL RISKS REPORT 2016


EVENTOS CLIMATICOS EXTREMOS - GLOBAL RISKS REPORT 2016


EVENTOS CLIMATICOS EXTREMOS - GLOBAL RISKS REPORT 2016


EVENTOS CLIMATICOS EXTREMOS - GLOBAL RISKS REPORT 2016


EVENTOS CLIMATICOS EXTREMOS - GLOBAL RISKS REPORT 2016


BRADO AMBIENTAL CONSULTORIA


BRADO AMBIENTAL


WEF 2016


sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

GLOBAL RISKS REPORT 2016

Riscos Ambientais:
  • Extreme weather events (e.g. floods, storms etc.) – Eventos climáticos extremos (por exemplo, inundações, tempestades etc.)
  • Failure of climate-change mitigation and adaptation – Falha na mitigação e adaptação às alterações climáticas
  • Major biodiversity loss and ecosystem collapse (land or ocean) – Perda de biodiversidade importante e colapso do ecossistema (terra ou mar)
  • Major natural catastrophes (e.g. earthquake, tsunami, volcanic eruption, geomagnetic storms) – Grandes catástrofes naturais (por exemplo, terremoto, tsunami, erupção vulcânica, tempestades geomagnéticas)
  • Man-made environmental catastrophes (e.g. oil spill, radioactive contamination etc.) – Catástrofes ambientais provocadas pelo homem – por exemplo, derramamento de óleo, contaminação radioativa etc.

POLUIÇÃO INDUSTRIAL EM GRANDE ESCALA


ACIDENTE COM CLORO NO GUARUJÁ - SÃO PAULO


ACIDENTE COM CLORO NO GUARUJÁ - SÃO PAULO


ACIDENTE COM CLORO NO GUARUJÁ - SÃO PAULO


ACIDENTE COM CLORO NO GUARUJÁ - SÃO PAULO


POLUIÇÃO INDUSTRIAL E TOXINAS


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

GLOBAL RISKS REPORT 2016

O Global Risks Report revela os maiores riscos globais de 2016

imagem-topo

Publicado anualmente pelo World Economic Forum, o Global Risks Report de 2016 lista e analisa os riscos que podem afetar negativamente pessoas, instituições e economias em todo o mundo nos próximos anos. O relatório apontou a falha na mitigação e adaptação às alterações climáticas como o risco de maior impacto potencial do ano – pela primeira vez, uma questão ambiental aparece no topo das preocupações. Já em termos de probabilidade, o risco número um é a migração involuntária em larga escala.

Confira abaixo a lista completa dos Riscos Globais 2016:
graphic_risks

Riscos Econômicos:
  • Asset bubble in a major economy Bolha de ativos em uma grande economia
  • Deflation in a major economy – Deflação em uma grande economia
  • Failure of a major financial mechanism or institution – Falência de um importante mecanismo financeiro ou instituição
  • Failure/shortfall of critical infrastructure Falha/déficit de infraestruturas críticas
  • Fiscal crises in key economies – Crises fiscais em economias-chave
  • High structural unemployment or underemployment – Desemprego ou subemprego estrutural elevado
  • Illicit trade (e.g. illicit financial flow, tax evasion, human trafficking, organized crime, etc.) – Comércio ilegal (por exemplo, fluxo financeiro ilícito, sonegação fiscal, tráfico de seres humanos, crime organizado, etc.)
  • Severe energy price shock (increase or decrease) – Forte impacto nos preços de energia (aumento ou redução)
  • Unmanageable inflation – Inflação incontrolável
Riscos Ambientais:
  • Extreme weather events (e.g. floods, storms etc.) – Eventos climáticos extremos (por exemplo, inundações, tempestades etc.)
  • Failure of climate-change mitigation and adaptation – Falha na mitigação e adaptação às alterações climáticas
  • Major biodiversity loss and ecosystem collapse (land or ocean) – Perda de biodiversidade importante e colapso do ecossistema (terra ou mar)
  • Major natural catastrophes (e.g. earthquake, tsunami, volcanic eruption, geomagnetic storms) – Grandes catástrofes naturais (por exemplo, terremoto, tsunami, erupção vulcânica, tempestades geomagnéticas)
  • Man-made environmental catastrophes (e.g. oil spill, radioactive contamination etc.) – Catástrofes ambientais provocadas pelo homem – por exemplo, derramamento de óleo, contaminação radioativa etc.
Riscos Geopolíticos:
  • Failure of national governance (e.g. failure of rule of law, corruption, political deadlock etc.) – Falha da governança nacional (por exemplo, falha do Estado de direito, corrupção, impasse político etc.)
  • Interstate conflict with regional consequences – Conflito interestadual com consequências regionais
  • Large-scale terrorist attacks – Ataques terroristas de grande escala
  • State collapse or crisis (e.g. civil conflict, military coup, failed states etc.) – Colapso do Estado ou crise (por exemplo, conflito civil, golpe militar, Estados desestruturados etc.)
  • Weapons of mass destruction – Armas de destruição em massa
Riscos Societais
  • Failure of urban planning – Falha de planejamento urbano
  • Food crises – Crises alimentares
  • Large-scale involuntary migration – Migração involuntária em larga escala
  • Profound social instability – Instabilidade social profunda
  • Rapid and massive spread of infectious diseases – Propagação rápida e maciça de doenças infecciosas
  • Water crises – Crises de água
Riscos Tecnológicos
  • Adverse consequences of technological advances – Consequências adversas dos avanços tecnológicos
  • Breakdown of critical information infrastructure and networks – Colapso de infraestruturas críticas de informação e redes
  • Large-scale cyberattacks – Ciberataques em larga escala
  • Massive incident of data fraud/theft – Incidente massivo de fraude/roubo de dados


BRADO ASSOCIADOS CONSULTORIA



A Brado Associados Consultoria propõe as melhores soluções estratégicas, técnicas, táticas e operacionais para o seu Planejamento de Segurança em 2016. Com uma minuciosa análise de cenários e diagnóstico de segurança elaboramos a ARE ( Análise de Risco Estratégico ) que é uma ferramenta fundamental para o processo de tomada de decisão nas questões de planejamento da proteção da organização, treinamento e desenvolvimento de equipes especializadas, escolha da política de seguros, prevenção de perdas e auditoria do setor de segurança, garantindo a melhor relação custo - benefício.Garantimos a segurança e proteção necessárias para dar continuidade aos seus negócios em meio à concorrência e às disputas de mercado. Contrate agora o nosso conhecimento , ligue no Bradofone 0xx 11 9 88349838 em São Paulo.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

WEF 2016


RISKMAP 2016


QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL


CRISE DA ÁGUA


ENERGIA


BRADO AMBIENTAL CONSULTORIA - SÃO PAULO


ACONTECEU


ACONTECEU


ACONTECEU


BRADO AMBIENTAL CONSULTORIA - SÃO PAULO


ESPECIALIZAÇÃO EM MEIO AMBIENTE


BRADO AMBIENTAL CONSULTORIA - SÃO PAULO